Beach House – “Once Twice Melody”

Uma casa na praia? Porque não? O novo álbum dos Beach House foi lançado por capítulos. São, no total, quatro os capítulos que compõe este mais recente trabalho. O primeiro capítulo tem no seu cardápio, os seguintes temas: “Once Twice Melody”, “Superstar”, “Pink Funeral” e “Through Me”. O primeiro capítulo deste livro muito bom de se ler, até porque é para ser ouvido, ou seja, um Audiobook, foi lançado no dia 10 de Novembro, de 2021.


O segundo capítulo foi lançado a 8 de Dezembro. O terceiro a 19 de Janeiro. E, mais recentemente e por último, o quarto, onde não se dorme, a 18 de Fevereiro. Já chega de enumerações. Ufa!


Além da sonoridade muito própria da banda, este álbum traz consigo um especial cuidado visual. Os videoclips hipnóticos devem-se a inúmeros produtores e realizadores, tais como: Nicholas Law, Scott Kiernan, Kevin Eskew, Jamie Wolfe, CJ Bishop, Annapurna Kumar, entre outros.


O facto de o álbum ter sido lançado gradualmente fez com que o público tivesse tido a oportunidade de digerir cada lançamento, de forma pausada e devidamente mastigada. Nestes quatro capítulos cabem moods distintos. Emoções e sentimentos e… coisas. Temos capítulos luminosos e coloridos. Todavia, temos outros que contrastam através do seu lado mais dark. A multiplicidade de fases está incrivelmente bem representada neste disco. É uma espécie de estações este disco. As quatro estações, aquelas do tempo e não das pizzas.


Em termos sonoros, podemos ouvir a vertente psicadélica vinda duma galáxia qualquer, que a banda faz questão de nos fornecer. Rasgos de amor conjugados com um folk-rock. Tudo isto num saudável affair com o mundo eletrónico. Um disco, todo ele, cósmico e com aquela dose misteriosa sempre muito bem executada. Uma banda intimista, mas muito. A Victoria Legrand é o espelho vocal perfeito do transe inconfundível que os Beach House nos sabem oferecer. Sabe tão bem, não sabe?


Vi os Beach House no Teatro Sá da Bandeira, em 2018, e que experiência… A execução dos sons é soberba. Uma performance assinalável. Só não arrepiei porque estava calor. É, por já ter experienciado aquilo que os Beach House são capazes de fazer em cima do palco, que vos aconselho, não só a ouvir este álbum, como tudo aquilo que a banda fez até aqui.
Oiçam!


Ps: Não elaborei muito sobre os outros capítulos, é verdade. Sabem porquê? Não sou de dar spoilers, por isso, só vos contei o que é que se passou no primeiro.

Partilha com os teus amigos